Serviço de Acompanhante Hospitalar

Seja para rápidos ou longos períodos de permanência em hospitais, em determinados momentos a presença de um familiar é inviável. Neste momento, surge como proposta a esta necessidade o serviço de acompanhante hospitalar.

Um profissional qualificado e de confiança, para substituir um familiar que, por alguma razão não pode acompanhar o paciente no momento de internação ou tratamento.
Lei de acompanhamento hospitalar
O trabalho exercido pelos profissionais da saúde são de extrema importância, e certas vezes, determinantes ao quadro clínico de um paciente. Nesse contexto, o papel de um acompanhante no leito hospitalar tem ganhado maior credibilidade, pois viu-se sua relevância sob a melhora na humanização do tratamento do doente.

Diante disso, está em tramitação um projeto de lei que dá direito a acompanhante para todos os usuários de serviços de saúde públicos ou privados, em hospitais e clínicas, pelo tempo de atendimento ou internação que lhe for necessário. Garantindo que todo processo de fragilidade pelo momento crítico seja tratado com mais compreensão.

Cuidadora de idosos e acompanhante hospitalar
A cuidadora de idosos é a profissional responsável por acompanhar, dar remédios, em certos casos alimentar, dar banhos e passear com idosos — portadores de deficiência ou pacientes doentes. Acompanhar e avaliar o atendimento recebido por um paciente, também é de responsabilidade de um acompanhante hospitalar. Este por sua vez, zela pela saúde, bem-estar, higiene e atividade de rotina do paciente.

Tem por obrigação ser dedicado a conversar, ter extrema paciência, responsabilidade, delicadeza e empatia para entender e ajudar as necessidades do enfermo. Há situações em que o cuidador também tem noções de primeiro-socorros ou graduação em enfermagem, sendo relativo ao caso que irá atender.

Acompanhante para cirurgias
Os momentos antes de um procedimento cirúrgico costumam ser delicados, sobretudo, àqueles pacientes com saúde mais debilitada ou riscos graves. Há circunstâncias em que, é de extrema importância que haja um acompanhante para as cirurgias. Isso tranquiliza o paciente antes de passar pelo processo, e o prepara emocionalmente caso hajam sequelas ou recuperações lentas.

Quando a presença de um ente querido não é possível, entram então os acompanhantes, que de forma indireta, fazem o papel do familiar. Durante a cirurgia, o ele aguarda na sala de espera, e quando liberado pode fazer as visitas necessárias e repassar aos familiares ou responsáveis informações sobre o estado de saúde do paciente e recomendações médicas.

Lei de acompanhamento hospitalar
O trabalho exercido pelos profissionais da saúde são de extrema importância, e certas vezes, determinantes ao quadro clínico de um paciente. Nesse contexto, o papel de um acompanhante no leito hospitalar tem ganhado maior credibilidade, pois viu-se sua relevância sob a melhora na humanização do tratamento do doente.

Diante disso, está em tramitação um projeto de lei que dá direito a acompanhante para todos os usuários de serviços de saúde públicos ou privados, em hospitais e clínicas, pelo tempo de atendimento ou internação que lhe for necessário. Garantindo que todo processo de fragilidade pelo momento crítico seja tratado com mais compreensão.

Solicite Seu Orçamento Agora